quarta-feira, 19 de março de 2008

Deus e o destino...

Um destes dias, um amigo meu chamou-me à parte, e mostrou-me um texto que tinha escrito sobre Deus e o destino. Ora, não querendo eu estar aqui a escrever o que ele disse (porque seria plágio), em traços muitos gerais vou explicar do que se tratava. Alegava ele, então, que quem acredita em Deus tem de acreditar também no destino, porque se Deus é omnipotente e omnisciente então ele sabe tudo, incluindo o nosso percurso, o que fizemos e o que vamos fazer (claro, estava muito mais bem escrito). Ora, quando eu comecei a falar com ele, disse-lhe que não concordava com essa ideia. Disse-lhe que acredito em Deus e que acredito no facto dele ser omnisciente, omnipresente e omnipotente, mas não acredito no destino, pelo menos não no sentido que a maioria das pessoas lhe dá. Como estava, nessa altura, a preparar o jantar, acho que não me dei muito conta do que lhe estava a dizer, ou no que estava a ouvir. Mas acabei por dar em mim, no dia seguinte, a vaguear por Coimbra (mais precisamente a meio das escadas Monumentais) a pensar naquilo. E fiquei contente. Porque apesar de ter estado com uma pessoa que tinha uma opinião contrária à minha finalmente tive a cabeça ocupada com algo interessante. É que por mais que eu e ele pensemos nisso, por mais que eu e ele argumentemos, e por mais opiniões que apareçam.. nunca ninguém saberá a verdade. E eu dei por mim a achar isso fantástico (estranho não?).Ora, acreditando eu em Deus, aceito que seja omnipotente e omnisciente e que se encontra presente em todas as coisas. Sim, mas não consigo aceitar a concepção de destino, ou pelo menos, não consigo imaginar que esteja já escrito. Se não, penso que quase não haveria motivos para viver, se está tudo estipulado qual é a graça? Quer dizer, ele pode saber tudo, mas o saber tudo implicará o delinear o futuro? Bom a palavra omnisciente fala por si... Mas quererá isso dizer que está já tudo decidido? Gostava de pensar que não...

Bom, mas vou parar por aqui. Apesar de ter ainda inúmeras coisas para dizer não vos quero massacrar mais. Fica aqui uma parte da minha opinião, se quiserem deixar a vossa, comentem ou mandem-me um mail. Uma coisa é certa, por muito que massacremos o nosso cérebro com isto, dificilmente conseguiremos ter a resposta verdadeira. Mas é espantoso como (em algumas pessoas) a simples leitura do texto do meu amigo, possa despertar em nós pensamentos incríveis. O nosso cérebro é fantástico.

Deixo aqui um excerto que pode ajudar a reflectir, ou a confundir..

“Há um paradoxo que explica a impossibilidade da omnipotência e que pode ser formulado da seguinte maneira: se Deus é omnipotente, pode criar uma pedra que seja tão pesada que nem Ele próprio a consegue levantar.” (...)“Esta a ver? É justamente aqui que radica a contradição. Se Deus não conseguir levantar a pedra, Ele não é omnipotente. Se conseguir, Ele também não é omnipotente porque não foi capaz de criar uma pedra que não conseguisse levantar." “A Fórmula de Deus” (pág 17-18) de José Rodrigo dos Santos.

Parece que temos ainda muito em que pensar...

1 comentários:

"meninuh" disse...

Ps tens mesmo de mudar o pormenor de não se poder fazer comments anónimos... porque não dava para fazer como me mostraste ;)
Beijinhos, quero ver mais posts bons como este :D